domingo, 29 de agosto de 2010

LÁ VEM A GENTE DESCENDO A LADEIRA


Passando as horas...
Lá se foi mais um cigarro,
entre tantos outros.
Lá se foi todas as cervejas,
latas, plásticos e paciência para reciclagem...
Mais um playlist,
off, pause e vibrações sonoras...
Lá se foi a conexão,
caiu e se esparramou no chão.
Talvez uma massagem faça bem...
Serve também um beijo na boca e palavras obscenas ao pé do ouvido.
Troco um papo na internet sobre novos sons,
Novos projetos, novos caminhos...
Tudo tão novo que brilha na tela do monitor...
Agora são toques virtuais.
Performances visuais, tudo bonito de se ver...
Artistas, intelectuais, feitiches...Feira Moderna.
E lá se foi a prosa,
Porque o Cravo brigou com a Rosa...

(Célia Demézio)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Hsssss


Te colocar contra a parede,
Mas que sede...
O calor aumenta nessas regiões,
Onde estamos sujeitos às chuvas e trovoadas...
Essa umidade sugere esconderijos
E sorrisos leves pela manhã...
Sim! Pode passar... agora tudo está vermelho!
Não tem vinho nem lareira...
Apenas no pé do ouvido um demoniozinho.
Aqui e acolá...

(Célia Demézio)

terça-feira, 17 de agosto de 2010

APOSTA


Que tenha alívio imediato,
Que não venham as dores de cabeça.
Que sobre um pouquinho no fundo do copo,
Que faça sol para secar as meias...
Que não haja reclamações no final do expediente,
Que acabe o tédio nas noitadas cheias de enxurradas.
Que se propague inteligência, e muita dose de boa vontade...
Que com ferro fere está perdido,
Porque nas pontas de seus dedos nada é mais sentido.

Pelas nossas unhas, pelas nossas sinusites, bronquites e esquisitices.
Pelos nossos pesadelos, pelos nossos delírios...

(Célia Demézio)
Loading...
Loading...