quarta-feira, 25 de julho de 2007

A CIDADE


Eu sou a Cidade, que te protege.

Sou eu quem você procura, para te livrar da dor a noite.

Você corre nas minhas veias em busca do segredo em busca da liberdade.

Mas a morte também ronda em mim, e as vezes você encontra com ela de cara.

Mesmo assim você teima em correr...

E eu te escondo em minhas veias em meus prédios, casas, abrigos, pontes, esgotos e muros.

Sou eu quem você teme.

A Cidade que você nasceu, naquele dia em uma de minhas veias onde já corriam outras vidas.

Sou eu quem te esconde, quem te protege, quem te machuca e te cura.

Tendes a fugir de mim ainda que saiba que sou tudo em sua vida.

Saia de mim, sua cidade, e vá para outra e mesmo assim uma cidade em sua vida você terá.

Que terá veias, vida, fome, corpos em movimento, a musa,

o deus, os reis da noite, cheia de luzes a cidade ainda corre na sua veia.

Não importa o que você sinta, quando a noite cai, você está em mim e eu em você tambem estou.

Você corre, pára, estuda, olha com atenção e não vê

que mesmo assim ainda é meu brinquedo, minha marionete

e quem te leva prazer, dor, angústia e a maior das dúvidas, quem sou eu?


Um comentário:

  1. Nossa que honra Celia, obrigado, que bom que gostou.
    Sei nem o que dizer ^^


    Brigaduuuuuuuuuuuuuuuuu


    Beijão!!!!!

    ResponderExcluir

Loading...
Loading...