sexta-feira, 18 de maio de 2007

MARGENS


você me disse pra cantar um blues

mas é que eu ando tão desafinado

também não fico procurando um tom

não se preocupe se eu estou errado.

não caiba dentro dos meus olhos

corra todos os perigos ou saia desse filme!

o poeta é um bandido sem eira nem beira

misto de louco e mendigo.

o poeta não cabe no próprio poema

o poeta é um subversivo.

o poeta é um anjo de línguas

a verve do próprio desejo.

o poeta é a festa, o carnaval do poema.

o poeta é o crime atravessando a palavra

o poeta e seus ismos, atímicos delírios.

o poeta engendrando amarras e gemas

pra depois explodir com todas as margens.

o poeta é a puta ocupando as esquinas

o poeta é a fama, o lado sacana, o bobo da corte

o poeta conspira um sonho pro mundo em seus calabouços.


LETRA E MÚSICA: Claudia Ferrari

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...
Loading...